Imprimir

Diabetes

Cerca de 6 milhões de americanos possuem diabetes diagnosticada. Entretanto, calcula-se que uns 5 milhões de americanos sejam portadores de diabetes não diagnosticada. Uma das manifestações bucais da diabetes é a doença periodontal, pois o diabético apresenta menor capacidade de defesa e reparação tecidual, ficando o indivíduo mais suscetível à periodontite. Entretanto, as infecções pioram o quadro de saúde do diabético por perturbar o controle do metabolismo da glicose.

Ou seja, a atuação do periodontista será de grande importância tanto para o diagnóstico precoce da diabetes como para a integridade da saúde geral de pacientes diabéticos portadores de doença periodontal.

Os diabéticos que apresentam doença periodontal têm mais dificuldade em controlar seus níveis de açúcar no sangue. Essa situação se enquadra no fato de que qualquer quadro inflamatório deflagra reações orgânicas que podem dificultar a manutenção da glicemia em valores ideais.

Dados de uma pesquisa nacional norte-americana mostraram que os indivíduos que têm doença periodontal correm um risco duas vezes maior, de apresentar diabetes.
O risco se mantinha mesmo naquelas pessoas que apresentavam outros fatores de risco para o diabetes como obesidade, sedentarismo e outros marcadores de inflamação. Tratamento da doença periodontal pode melhorar o diabetes.

Segundo a pesquisadora da Stony Brook University, Maria Ryan, dados preliminares de um estudo em andamento apontam para a melhora do diabetes com tratamento da inflamação das gengivas.

O tratamento que consiste no tratamento dentário necessário ao paciente e doses de antibióticos específicos para as bactérias envolvidas no processo.

A especialista alerta para o fato de que pacientes diabéticos que apresentem uma dificuldade em controlar seus níveis de glicose no sangue devem ser avaliados por seus dentistas para afastar problemas peridontais como causa da dificuldade de controle da glicemia.